sábado, junho 10

As crianças devem saber não fazer nada..

Aqui há tempos li algures que 'O tempo livre das crianças está a tornar-se um luxo' e vou ser muito sincera, deixa-me muito assustada. Não por nós -  nesta fase - , mas por muitas famílias que já se vêm incluídas e a imaginar-nos daqui a uns tempos quando ele for para a escola e aí ser muito possivelmente essa a dura realidade. A de que a liberdade de ser-se simplesmente criança é cada vez mais engolida pelas 'prioridades', pelas 'tarefas', pelo tempo para ter que estar em constante ação, a fazer coisas. 


As crianças precisam de tempo para não fazer nada, para se aborrecerem e precisam de aprender por elas próprias que isso também é bom. 

Se vos disser que os tempos da minha infância que mais me fazem mais sorrir quando os recordo, são os momentos de não fazer nada? De simplesmente estar sentada à beira de uma árvore a sonhar? A imaginar? A dar uso a este instrumento tão poderoso que é a imaginação da criança? 
Temos que lhes dar tempo, espaço e liberdade para que possam criar, inventar, descobrir-se… 

Tempo para observar a rua, as pessoas, os pássaros. Para estarem sozinhos nos seus quartos a brincar, a desarrumar. Para desenharem na areia, para construir uma fortaleza no quintal. Explorar a tal sensação de aborrecimento, a que os motiva a encontrar algo de estimulante, pode ser exatamente o que a criança precisa de 'fazer'. 
Se pensarmos bem nisso, acaba por ser muito esse o motivo de estarmos numa altura em que temos que ter sempre algum recurso para entreter uma criança. Ou um telemóvel, tablet, jogos, etc. Não que não ache que não o devemos ou possamos usar, atenção, não sou de todo extremista (em nada!) e também dou uso quando queremos. Mas refiro-me ao usarmos precisamente quando queremos e não quando a impaciência deles for imposta a esse uso. Deixá-los a não fazerem nada e a aprenderem a gerir isso é essencial.

Nós enquanto adultos prezamos tanto essa liberdade de não fazer nada e damos tanto valor aos tempos em que nos podíamos dar a esse 'luxo'. Aquela vontade que todos temos de 'chegar a casa e não fazer nada', ou 'ir dar uma volta sem destino'. Porque acharmos que as crianças também não sentem falta do mesmo? Elas não serão mais ou menos felizes se tiverem muitas tarefas para fazer. Podem ser tão felizes com o simples 'não fazer nada', a estarem somente na nossa presença.

Gosto de lhe dar estes tempos, este espaço. Gosto de lhe mostrar que a felicidade reside precisamente nessa liberdade e que pode contar comigo para a ter, só para si. 

Gosto de pensar que quando entrar para a escola, consigamos encontrar um meio termo, e que pelo menos numa altura do seu dia, consiga ter este escape. Para sonhar, imaginar, divagar... ser livre de ser criança.

Sentir a areia
observar o mar
Mafalda
Mais em:

Sem comentários:

Enviar um comentário