terça-feira, maio 9

Terças a Duas • Auto-estima após ser mãe




↠ Mais uma deliciosa rubrica com a minha queria Tânia do 3m´s, hoje sobre a auto-estima após ser mãe


3m’s: Não sei o que hei-de vestir para a praia este ano. Não me sinto nada confiante com o meu corpo, não me apetece, de todo, andar a exibi-lo num biquíni.

Meia Lua – Mom. Life Lover (ML): Essa questão da auto-estima é muito pertinente para mim, no fundo tenho mix feelings. Quando estava grávida, foi a melhor fase para mim. Não só porque me sentia feliz por ser mamã mas porque me sentia mesmo bem em relação ao meu corpo. Nunca me tinha sentido tão bem até. Depois quando ele nasceu… nos primeiros momentos consegui perder todo o peso que tinha ganho na gravidez. Mas o difícil veio depois. Com um pós-parto complicado, a nível físico e emocional, fui-me muito abaixo e com isso as hormonas e o descontrole, veio o aumento de peso. Pensei sempre ser apenas uma fase e que iria passar, principalmente quando começasse a trabalhar. Mas a realidade não foi essa e acabou por se revelar até bem pior. Após 5 meses de ter dado à luz, o meu regresso ao trabalho foi atribulado. O meu dia-a-dia era super stressante e o meu descontrole emocional estava mais presente do que nunca. Não me conseguia olhar ao espelho, sentia-me mal comigo mesma. Em todos os sentidos. E os olhares, que nem precisavam de se transformar em comentários, diziam muito e pesavam muito no que eu me sentia.

3m’s: Sim, quando estava em casa com a Letícia também acabava por não fazer nenhuma refeição decente, comia pouco ao almoço porque tinha de estar com ela ao colo, entretanto ela ia dormir e aí eu aproveitava para ir arrumando as coisas, petiscava porcarias pelo meio, às vezes sentia-me tão exausta que pensava que depois de tanto esforço merecia aquele gelado ou aquelas gomas; nessa fase estava com algum peso a mais. Entretanto fui emagrecendo sem o querer, os comentários sobre o peso a mais que quase não existiram (pois não me queriam magoar) deram lugar a duros comentários sobre o facto de estar demasiado magra: “tens de engordar, estás escanzelada, não podes andar assim“.

ML – Eu também ouço comentários, mesmo que não sejam muitos ou às vezes não falem, sente-se; não que sejam maldosos, mas magoam. Sobretudo quando acabamos de ser mães, passados poucos meses, surgem comentários como: “agora tens que ir ao sítio”, “agora a ver se te cuidas”. Atualmente os que oiço mais é “estás em casa tens tempo para fazer exercício” e “só não emagreces porque não queres”.

3m’s: No meu caso mandam-me comer para engordar, logo eu que como bem. Sabes, quando és mãe e magra as pessoas pensam que és uma cabra sortuda e que por isso não te deixas afetar por nada. Nem só emagrecer é difícil, engordar também o pode ser, sobretudo quando dormes pouco e andas preocupada com vários problemas, o stress faz-te emagrecer. Além disso, não percebem que podes ser magra e ainda assim ter complexos, como no meu caso em que sinto constantemente estas banhas laterais, sou magra mas sinto-me disforme.

ML- Conheço bem essas banhas. Eu, por exemplo, como estou em casa acabo por me focar no Martim e esqueço-me de comer. Às vezes dou-lhe o almoço e acabo por não comer ou vou petiscando, depois pão aqui e acolá. Acabo por gerir o meu dia muito à volta das mesmas coisas, saídas com ele e tarefas; quando tenho um momento centro-me na minha escrita; às vezes o dia passa e nem dás conta. Estar em casa com eles não são férias.

3m’s: Quando estava em casa com a Letícia sentia que a pouca energia que me restava, quando restava (era raro), merecia ser despendida noutras coisas importantes e não a fazer exercício. A pressão que nos colocam em cima para perdermos peso faz com que seja mais complicado.

ML: Depois da primeira fase passar, quando vim para casa com o Martim, comecei finalmente a atravessar uma fase mais tranquila e isso fez com que perdesse alguns (poucos) quilos, mas que mais que isso, me aceitasse melhor a mim própria. Estava sozinha, com família longe, e por isso não ouvia comentários de ninguém. Não sentia stress nem as hormonas já estavam presentes. Mas não foi por isso que me passei a sentir 100% bem comigo mesma. O peso a mais (para mim), ainda cá está, assim como tantas outras coisas que queremos sempre mudar e ver diferente em nós. A minha auto-estima não é sempre a melhor. Continuo a sentir que quero estar melhor comigo mesma, mas de uma forma mais serena, sem pressas, sem pressões . Porque estar em casa com um filho, não são férias e o cansaço vem de onde não se percebe , porque ‘não se faz nada’.

3m’s: Eu gostava que as pessoas compreendessem que eu tenho um espelho em casa, eu percebo como é que o meu corpo está, eu vejo-o todos os dias, e nu, de vários ângulos! Se eu perguntar o que acham da minha barriga, agradeço que respondam, caso contrário não preciso de comentários nenhuns. Alegrem o meu dia dizendo que estou com os olhos bonitos, a pele macia, qualquer coisa, mais facilmente conseguirei pegar nisso e transformar em motivação para melhorar a outros níveis. Mais, reconheçam que o facto de não cuidar tanto de mim se deve ao facto de estar a cuidar atentamente de alguém.
E vocês desse lado, o que sentem em relação a este assunto?


2 comentários:

  1. Sandra Silva9.5.17

    Ai meninas... auto-estima...já nem sei o que isso é. Na gravidez perdi 9 kg, fiquei tão bem com 60kg. Depois tive um pós-parto complicado também a nivel físico e emocional. Fui bombardeada com palpites de todo lado e de toda a gente. Como o Martim nasceu com pouco peso a primeira pressão era a que o meu leite não o sustentava e talvez por isso o menino não dormia bem, entre outras coisas. enfim cansada, debilitada a nivel psicologico refugiei-me na comida principalmente nos doces. O açúcar é um vício como o tabaco ou o álcool. O meu marido pedia para que me controlasse e eu dava a desculpa de que a amamentação dava fome. Neste momento estou com 74,5kg com 1,55m, uma autêntica bolinha. Se me sinto bem? Claro que não. Já tentei fazer dieta mas é muito dificil para mim, sou uma gulosa nata, e eu até sou daquelas pessoas que quando põe uma ideia na cabeça vou até ao fim, mas ainda não consigo. Eu fumava e um dia prometi a mim mesma que deixarua de fumar logo que terminasse aquele maço de tabaco e assim foi, nunca mais toquei num cigarro e já lá vão 6 anos. Porque não consigo ser assim em relação à dieta? Eu preciso de aprender a comer de forma saudavel, mas não sou muito fã de peixe nem de legumes, imaginem a minha vida. Ah, para não falar que adoro pão. Socorro meninas...
    Praia este ano só se for de fato de mergulho... ��

    ResponderEliminar
  2. Ana Roma Neves11.5.17

    Bem este é um tema sem duvida pertinente.
    Bem eu sou magra. Perdi tudo o que ganhei em gravidez muito rapido, tinha mt retencao liquidos e isso desaparece com o tempo.

    Por ser magra não significa que não ouça comentários, por ser magra não significa que não doa menos ouvi-los. Quem é magro e precisava talvez so duns quilinhos a mais, não é facil de os obter. Mas as vezes penso... mas o normal é ficar gorda, mais pesada, forte, estruturalmente feia pos gravidez??? Ou é suposto sentirmo-nos bem e fazer para isso, independentemente se os outros aprovem ou não, independentemente se é mais cheio ou mais magro???! Incomoda olharem para ti, com olhar de desdem e dizer "estas mais magra???" " aiii tas mesma magrinha" ahahhaah. Ser mãe é uma ginastica muito grande, e tudo depende do metabolismo de cada um.
    E se cada um se metesse na vida deles?? Eu não chego ao pe das Mães e digo "se tas gorda" como a mim me dizem "se tas magra" e quem disse que não magoa igual???

    Eu podia ter mais um kg mas estou bem assim ❤

    https://www.facebook.com/maemulheryoga/

    ResponderEliminar